Notícias

Prevenção de Quedas em Idosos


O passar dos anos muda-nos, não só a forma como pensamos e vemos o mundo, mas também fisicamente. Envelhecer é um privilégio, mas o objetivo é que seja com saúde. É inegável que o nosso corpo se altera, sendo necessário que nos adaptemos. As quedas são uma das principais causas de incapacidade e mortalidade nas idades mais avançadas, devido a fraturas, traumatismos cerebrais, feridas e lesões musculares. A sua prevenção é, por isso, essencial, incluindo-se num processo designado «Envelhecimento Ativo», que tem como objetivo melhorar a qualidade de vida das pessoas que envelhecem.

Então, porque são quedas mais frequentes? As pessoas mais velhas são mais frágeis. A sua constituição corporal altera-se (perda de massa muscular, alteração da postura) tal como os seus reflexos e sentidos (visão, audição). Estes fatores fazem que o próprio meio, se não adaptado, seja igualmente um fator de risco, como por exemplo, calçado não adequado e chão escorregadio.

Então, como prevenir? As medidas de prevenção são indicadas tanto para a pessoa como para o seu meio ambiente. Em termos pessoais, a pessoa deve manter-se ativa com exercícios de fortalecimento e flexibilidade simples e em ambiente seguro, como exemplificado no «Manual do Cuidador» redigido pela Rede Regional de Cuidados Continuados Integrados, que pode ser acedido via https://biblioteca.sns.gov.pt/wp-content/uploads/2017/06/Envelh_ativo_manual-cuidador-preven%C3%A7%C3%A3o-quedas.pdf. Deve igualmente ter atenção nas atividades do dia-a-dia, como na mudança de posição (que deve ser feita lentamente) e deve evitar atividades intensas e sob temperaturas extremas. No mesmo manual, também são dados exemplos sobre como o meio da pessoa pode ser adaptado, como o retirar de tapetes, manter a boa iluminação de todas as divisões da casa, ter corrimões e barras de apoio, evitar superfícies escorregadias e adaptar o calçado (utilizar calçado fechado e evitar andar só de meias).

Então, o que fazer em caso de queda? Se não conseguir levantar-se com segurança ou estiver com dores muito intensas deve pedir ajuda. Se tiver telefone portátil ou telemóvel deve tê-lo sempre perto de si, de maneira a pedir ajuda, contactando familiares, o 112, a SNS24 (808242424) ou vizinhos.

Autoras:

Gina Martins

Enfermeira de Família na USF S. Martinho de Pombal, Licenciatura em Enfermagem na Escola Superior de Enfermagem de Leiria.

Helena Barbosa

Médica Interna de Medicina Geral e Familiar na USF S. Martinho de Pombal, Mestrado Integrado na Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra.

Coloque um comentário